O que é o implante dentário?

Os cilindros usados nos implantes dentários são feitos de titânio comercialmente puro e biocompatível — ou seja, um metal compatível com o tecido, o que torna sua interação tão natural que um não é afetado pelo outro. Estes pinos metálicos são rosqueados no tecido ósseo, funcionando como uma raiz artificial para as próteses fixas ou removíveis. Os pinos podem ser feitos em diversos tamanhos e espessuras, de forma a atender diversas necessidades.

A escolha do titânio como material utilizado nos implantes é facilmente justificada: além de não causar rejeição em contato com os ossos e o tecido gengival, esse metal é altamente resistente e não sofre corrosão.

Uma das maiores vantagens dos implantes dentários é o aspecto natural que eles proporcionam, já que o dente é implantado diretamente no osso. Além disso, os dentes vizinhos são preservados, sem que haja necessidade de desgaste para preparação da prótese, e a sensação ao mastigar é a mesma de um dente natural.

Note que o Implante Dentário, após realizada a cirurgia para a sua colocação, não fica aparente, ele fica embaixo da gengiva, dentro do osso. O que vai aparecer na boca é a prótese que será feita sobre esse implante, ok? É como se o implante fosse os pés de uma mesa e o tampo da mesa, a prótese.

É importante que você saiba que o implante substitui a raiz de um dente que não existe mais, ou seja, se você ainda possui o resto de raiz de um dente você terá que avaliar se essa raiz está boa. Se estiver boa, você poderá usá-la para fazer uma prótese fixa convencional, tipo pivô. Agora, se essa raiz estiver condenada, deve-se fazer a extração dela e colocar um implante no seu lugar.

Quando é indicado o implante?

O implante dentário é indicado para as situações em que há perda de um ou mais dentes, quando há insatisfação com a mastigação e má adaptação de próteses ou uso de próteses esteticamente desfavoráveis.

O comprometimento dos dentes — como em casos de fratura da raiz ou doença periodontal, que causa mobilidade — também podem indicar a necessidade dos implantes, mesmo quando não ocorre a perda total do dente.

Depois que o paciente perde um dente, o ideal é que se espere um período de tempo para que haja completa cicatrização da área. Porém, algumas técnicas de colocação imediata podem ser utilizadas para fazer o implante na mesma sessão de extração do dente, de acordo com a indicação do dentista que acompanha o caso.

O implante dentário pode ser recomendado para frear a reabsorção óssea. Isso ocorre por causa de um osso denominado alveolar, responsável pela sustentação dos dentes para permitir a mastigação.

O Implante Dentário está indicado em diversas situações clínicas, todas elas envolvendo perda de dentes.

  1. Pode ser utilizado para repor apenas um dente faltante.
  2. Pode ser utilizado para repor um espaço desdentado envolvendo 3 ou mais dentes faltantes.
  3. Pode ser utilizado para repor uma arcada inteira desdentada. Nessa situação, com apenas 4 implantes, conseguimos desenvolver trabalhos de próteses totais fixadas nesses implantes.

Como funciona a cirurgia?

A cirurgia de implante dentário é o procedimento cirúrgico (operação) que nos permite a colocação dos implantes, sendo na atualidade muito seguro e utilizado com muita frequência um pouco por todo o mundo. Esta cirurgia veio melhorar significativamente a qualidade da reabilitação oral nos casos da falta de dentes.

Após estudo radiográfico, os implantes dentários são colocados em locais onde exista osso suficiente e saudável, sendo contraindicados se não existirem as condições mínimas de quantidade e qualidade de osso ou se o paciente apresentar alguma limitação ao nível da sua saúde em geral.

A colocação de um implante dentário dói?

A colocação de um implante dentário, habitualmente, não provoca dor, pois o paciente é previamente anestesiado. A operação de implantes dentários é quase sempre efetuada mediante anestesia local, salvo nos casos dos Implantes zigomáticos onde é efetuada sob anestesia geral.

Quanto tempo duram os implantes?

Os implantes podem durar uma vida ou muitos e muitos anos. Desde que não existam doenças sistêmicas graves e oncológicas. Se o paciente seguir as recomendações do dentista nomeadamente os cuidados a ter, cumprir as consultas de rotina e controlo, os implantes podem durar muitos e muitos anos.

O tratamento é demorado?

Bem, essa pergunta está diretamente relacionada com o tempo de osseointegração (grudar no osso) do Implante e varia segundo o tipo de implante utilizado. Ou seja, existem Implantes mais sofisticados que apresentam um prazo de osseointegração de 21 dias. Isso mesmo, em 21 dias você já poderá estar fazendo sua prótese dentária sobre esse Implante que já estará integrado ao seu organismo. Contudo, existem Implantes mais simples que demoram até 6 meses para grudar no osso, ou seja, seu tratamento irá demorar bem mais para ser concluído.

E por que ocorre a rejeição do implante dentário?

Atualmente, com o desenvolvimento técnico e científico, o índice de rejeição dos implantes dentários é baixíssimo. As empresas de implantes estão desenvolvendo produtos cada vez mais sofisticados que trazem segurança tanto para o paciente quanto para o profissional, além de acelerar o período para que o tratamento fique completo.

Entretanto, ainda existem casos nos quais ocorre rejeição do implante dentário, mas por quê?

São casos em que houve um mal planejamento e alguns fatores em conjunto atuaram para esse insucesso. Por exemplo:

  • Colocar implantes em áreas de enxertos ósseos não consolidados, ou seja, o enxerto ósseo não ficou bom e, mesmo assim, se optou por colocar implantes naquele local.
  • Colocar implantes em locais inflamados. Essa inflamação irá reabsorver o osso e impedir uma correta integração óssea.
  • Colocar implante e fazer carga imediata (dente na mesma hora) em pacientes que façam apertamento dentário noturno ou diurno.
  • Colocar implantes em osso de baixa qualidade e quantidade sem que haja um reforço ósseo adicional.
  • Extrair um dente e colocar o implante na mesma hora, sem que haja uma condição óssea mínima para estabilizar esse implante, já que no local da extração do dente fica um “buraco ósseo”. Então são cuidados que devemos tomar e ficar atentos.

Diferenças entre prótese convencional x prótese total

A grande desvantagem das próteses totais convencionais é que elas não conseguem parar o processo de reabsorção dos ossos dos maxilares e, ás vezes, podem até mesmo acelerar esse processo. Também são próteses grandes que necessitam cobrir uma grande área do céu da boca e gengiva, isso gera desconforto, perda de sensibilidade bucal, fungos na mucosa abaixo da dentadura e lesões de gengiva (hiperplasias protéticas).

Já a prótese total com implantes vai necessitar de uma quantidade de acrílico, muitas vezes, mínima, deixando todo o céu da boca livre para o paciente sentir a presença dos alimentos, ter uma sensação de boca livre e previnir infecções fúngicas. Também pode ser uma prótese totalmente apoiada nos implantes o que evita lesões nas gengivas. Também, pelo fato de ter implantes integrados ao osso, ela irá impedir o processo de reabsorção óssea (perda dos ossos dos maxilares).

Quanto custa um implante dentário?

O preço ou valor de um implante dentário pode variar tendo em conta as diversas condicionantes associadas, conforme discutido anteriormente.

No implante zigomático, o preço tende a ser superior, não só pela necessidade de se realizar sob anestesia geral, como também do próprio tipo de implantes (muito mais compridos). No implante de carga imediata, o preço ou valor também aumenta ligeiramente devido ao facto de ser necessário um maior número de peças para a confecção da prótese fixa provisória. O preço individual (1 dente) ou o valor de vários dentes, ou até de uma dentadura completa ou total pode também diferir (no caso de um maior número de dentes, os preços tendem a baixar, ou seja, o preço médio por dente tende a ser mais barato).

Pós operatório de implante dentário

Regra geral, na recuperação da cirurgia do implante dentário nada de preocupante ocorre e não obriga propriamente a qualquer repouso no pós operatório, nem a suspensão laboral. Ou seja, a recuperação após a cirurgia é quase imediata, podendo o doente levar uma vida perfeitamente normal durante todo o tempo de recuperação, desde que siga as recomendações fornecidas pelo seu médico dentista.

De modo, a minimizar alguns riscos e complicações são necessários alguns cuidados após implante dentário por parte do paciente, tais como:

  • Tomar a medicação prescrita a horas;
  • Aplicar gelo (indiretamente) sobre a zona intervencionada;
  • Evitar movimentos bruscos com a cabeça e qualquer atividade física mais intensa;
  • Evitar exposição ao sol e fontes de calor;
  • Reforçar os cuidados de higiene oral;
  • Optar por uma alimentação mais mole ou pastosa durante a 1ª semana após a cirurgia.

Não é necessário portanto um repouso no pós operatório, podendo o doente levar uma vida perfeitamente normal desde que sejam mantidas as recomendações atrás enunciadas.

No caso de ser efetuado enxerto ósseo para colocação do implante dentário, a recuperação é semelhante, com exceção do facto de que será necessário aguardar algum tempo adicional até que se verifique a total osseointegração do implante.

Não existe, normalmente, dor após a colocação do implante dentário, (dores no pós operatório), mesmo que se verifique a chamada rejeição de implante dentário (perda do implante).